Psicotropicus - Centro Brasileiro de Política de Drogas

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Dispensário da Califórnia oferece maconha em troca de alimentos para doação

A notícia que chega da Califórnia provavelmente provocaria todo tipo de sentimento reacionário se ocorresse no Brasil. A mente proibicionista dificilmente entenderia o gesto de caridade do dispensário Granny Purps, em Soquel, que ofereceu um cigarro de maconha em troca de alimentos que os clientes trouxessem para doação.

Tudo foi feito de acordo com a legislação da Califórnia e somente os pacientes cadastrados no programa de cannabis medicinal estavam aptos a realizar a troca. Os clientes ganhavam um cigarro de maconha para cada quatro latas de comida que ofereciam. Havia um limite de doação de 12 latas (ou três cigarros) por dia para cada paciente.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Liberdade para Cultivadores presos com 108 pés de Maconha - Mas e a Justiça?

O caso que dividiu opiniões até mesmo entre usuários enfim chegou ao que se pode considerar um "final feliz". Pai e filho foram presos com 108 pés de maconha no dia 21 de setembro, numa operação que mobilizou dezenas de homens de polícia Civil para que o prédio, localizado no Recreio dos Bandeirantes [RJ], fosse cercado e eles presos, acusados de traficarem a erva que plantavam. Não há provas do comércio, mas mesmo assim ambos permaneceram na cadeia até a noite do dia 16 de Dezembro.

Isso abre um precedente histórico na luta pela legalização da maconha no Brasil. No entanto, Francisco Aurélio de Souza Grossi, engenheiro ex-funcionário de uma multinacional e o jornalista Gustavo Grossi, tiveram suas vidas completamente expostas - e pior - de forma arbitrária, já que não haviam evidências concretas do tráfico de drogas. Atualmente os dois respondem por cultivo caseiro, ato despenalizado pela Lei 11.343 de 2006.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Na guerra às drogas de Calderón, México contabiliza 30 mil mortos em quatro anos

mexico1 Os quatro anos de Felipe Calderón na presidência do México carregam o peso o peso de um banho de sangue. E o começo desta história surge logo no primeiro dia de governo de Calderón, quando o mesmo declarou uma "guerra às drogas", que contava com o apoio do então presidente norte-americano George W. Bush. Passados quatro anos, os cartéis continuam resistindo fortemente a ofensiva militar do governo.

No México de um Presidente que resolveu levantar a bandeira desta guerra como um grande projeto de governo, o resultado é mais do que macabro. O balanço divulgado na última quinta-feira revela um saldo de 30 mil mortos em conflitos relacionados às drogas desde 2006, quando Felipe Calderón assumiu a presidência do país.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Consumo de drogas ilícitas é maior entre estudantes da rede privada de ensino

drogas-jovens Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) revelou que o consumo de drogas ilícitas entre os estudantes de escolas particulares é maior do que o verificado entre alunos da rede pública. A proibição, que criou um mercado negro livre de qualquer fiscalização, facilita a vida dos menores de idade que encontram grande facilidade para comprar qualquer tipo de droga.

Os pesquisadores entrevistaram 50.890 estudantes, com predomínio da faixa etária de 13 a 15 anos, sendo 31.280 da rede pública e 19.610 da rede particular. O levantamento mostra que 13,6% dos alunos de escolas particulares entrevistados declararam ter usado algum tipo de droga no último ano. Na rede pública este percentual é de 9,9%.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

WikiLeaks revela a íntima relação de políticos africanos com tráfico de drogas

ArmandoGuebuza A ideia de que a proibição das drogas é mantida em benefício da população começa a cair quando os reais interesses começam a ser revelados. Pro trás de todo aparato repressivo, existem interesses econômicos de grupos que se aproveitam da força política para lucrar elevadas cifras com um negócio que dificilmente será extinto.

A crise diplomática provoca pelo vazamento de cartas confidenciais no site WikiLeaks também revelam a íntima relação de governantes com o tráfico de drogas. Em 2009, o encarregado de negócio da embaixada norte-americana em Moçambique disse que o país " se tornou a segunda praça africana mais ativa no trânsito de narcóticos", perdendo apenas para Guiné Bissau.

O tráfico de drogas em Moçambique é controlado por duas grandes organizações criminosas chefiadas pelos moçambicanos de origem asiática Mohamed Bachir Suleiman ("MBS") e Ghulam Rassul Moti. Outros documentos divulgados pelo WikiLeaks revelam que "MBS tem laços diretos com o presidente Armando Guebuza e com o ex-presidente Joaquim Chissano". Além disso "Suleiman teria financiado a campanha da Frelimo (o partido do governo) e ajudou significativamente nas campanhas eleitorais" de Guebuza e Chissano.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

LEAP chega ao Brasil e fortalece movimento pela legalização das drogas

leap A luta por mudanças nas políticas de drogas no Brasil ganhou um importante aliado. Criada nos Estados Unidos em 2002, a LEAP (Law Enforcement Against Prohibition) agora possui uma representação oficial dentro do território brasileiro. A instituição é é formada por integrantes de forças policiais e da justiça criminal (ativos e aposentados) que perceberam a falência das atuais políticas de drogas.

Em seu site em português a LEAP deixa bem claro que sua missão "é reduzir os inúmeros danos resultantes da guerra às drogas e diminuir a incidência de mortes, doenças, crimes e dependência, pondo fim à proibição das drogas".

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Descriminalização das drogas enfrenta forte oposição da população brasileira

proposition19_marijuana O projeto de descriminalização - e futuramente de legalização - das drogas ainda precisa enfrentar um poderoso adversário: a opinião popular. No Brasil, o cenário é bem diferente da daquele encontrado na Califórnia, onde 46% da população votou a favor da legalização da maconha no Estado.

Uma pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi após as eleições deste ano revelou a força do pensamento conservador na sociedade brasileira. Na consulta feita em todo país como 2.200 pessoas, 87% afirmaram ser contra a descriminalização do uso de drogas. O Nordeste lidera o ranking de rejeição com 93% dos entrevistados se posicionando contra a medida.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Clube de consumidores de maconha é inaugurado em Madrid

madrid-cannabis Enquanto o governo holandês fortalece a repressão ao funcionamento dos coffeshops, a cidade de Madrid, na Espanha, ganhou seu primeiro espaço onde é possível fumar maconha para fins recreativos ou medicinais de forma legal. Mas ao contrário do que ocorre na Holanda, o acesso ao Private Cannabis Club é restrito a usuários associados.

Para aderir ao clube cada usuário precisa ser indicado por um dos membros, além de pagar uma taxa anual de 130 euros. O espaço já conta com aproximadamente 80 membros com idades entre 20 e 65 anos. Como se trata de uma organização privada é possível fumar dentro da legalidade. Todos os dias aparecem no local entre 20 a 30 pessoas. “É uma associação privada e estamos inscritos na Comunidade de Madrid” conta CarlosYerbes, um dos fundadores.