Psicotropicus - Centro Brasileiro de Política de Drogas

terça-feira, 31 de julho de 2012

Legalização avança na América do Sul

Enquanto o debate sobre o fim do proibicionismo das drogas pega fogo em vários países da América do Sul, o governo brasileiro segue em um silêncio vergonhoso. Uma reportagem do SBT apresentou as propostas de legalização da maconha no Chile e Uruguai e de descriminalização na Argentina. O jornal ainda destacou a oposição de Obama e a omissão de Dilma Rousseff.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Uma misteriosa doenca esta contaminando ex-presidentes, ex-aliados da guerra contra as drogas

Depois que o ex-presidente da Polônia começou a pregar ideias antiproibicionistas, após ter sido um poderoso aliado na guerras às drogas quando estava no poder, admitindo que antes estava errado, cientistas detectaram um novo transtorno mental que denominaram Síndrome Pós-Aposentadoria de Consciência Política sobre Drogas (SPACPD). O ex-presidente da Polônia é a primeira vítima na Europa dessa estranha epidemia. Leiam mais abaixo:

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Guia para a militância antiproibicionista

Enfrentar o proibicionismo não é uma tarefa fácil. É preciso vencer a barreira do preconceito, desqualificar os mitos com argumentos técnicos e destronar a força conservadora que ocupa o meio político.

A equipe do IDPC lançou recentemente a segunda edição de um guiaantiproibicionista de capacitação dos ativistas. Infelizmente o material não está disponível em português, mas é possível fazer o download em espanhol, inglês, francês, italiano, árabe, chinês, tcheco e russo. Boa leitura!

image

terça-feira, 17 de julho de 2012

O cérebro fabrica maconha?

O proibicionismo trata a maconha como uma planta sem utilidade médica. Uma rápida pesquisa na internet mostra que este argumento é mais uma falácia para sustentar uma repressão desastrosa. Com a palavra o pesquisador Roberto Lent, professor do Instituto do Ciências Biomédicas da UFRJ.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

LEAP-Brasil no Psicoblog

Republicamos aqui os informes do mes de junho da LEAP-Brasil de nossa blog-colaboradora Maria Lucia Karam, juíza aposentada e presidente do escritório brasileira da fabulosa organização de agentes da lei, promotores, juízes e outros operadores da lei, inclusive ex-agentes do FBI e da CIA.

Esperamos argumentos à altura para um debate honesto e aberto, questionando as ideologias e desmascarando a hipocrisia.

Junho 2012

  • "Marchas da Maconha"

    No mês de maio e início desse mês de junho, a chamada “Marcha da Maconha” se estendeu ao interior do Brasil, realizando-se em 34 cidades de 17 estados da federação, além do distrito federal. O movimento avança em extensão, mas decerto precisa avançar também na compreensão de que a reforma da atual e nociva política de drogas mundial não pode se limitar à maconha. Reivindicar apenas a legalização da maconha significa reproduzir a mesma lógica proibicionista baseada na irracional distinção entre drogas lícitas e ilícitas. Limitar-se à reivindicação de legalização da maconha significa aceitar o prosseguimento da política de “guerra às drogas”. Para pôr fim aos inúmeros danos provocados por essa nociva, insana e sanguinária política, é preciso sim legalizar a produção, o comércio e o consumo de todas as drogas.

  • Governo do Uruguai propõe legalização da maconha

terça-feira, 10 de julho de 2012

Tráfico cresce com a restrição aos coffeshops na Holanda

Não demorou muito para o tiro proibicionista do governo holandês sair pela culatra. Uma pesquisa realizado pelo Epicurus, fundação privada que se dedica a monitorar os efeitos da cannabis na sociedade, aponta para o crescimento do tráfico de maconha nas regiões onde o comércio legal de maconha foi proibido para turistas.

De acordo com os pesquisadores Nicole Maalsté e Rutger Jan Hebben a medida restritiva aumentou o tráfico nas ruas e no segmento delivery. "Queremos que o resto da Holanda saiba o que os espera quando essa regulamentação chegar", disse Maalsté.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Guerra às Drogas é motivo de guerra entre policiais

O desastre do modelo proibicionista resultou em mais uma história trágica para uma política que prega a “defesa da vida”. Dois policiais acusados de praticar extorsão contra usuários de drogas em Guarulhos (SP) trocaram tiros com agentes da Força Tática em uma rodovia movimentada da Grande São Paulo. Um policial corrupto morreu e o outro foi preso. Do outro lado, um PM da força tática foi ferido na cabeça e está internado em estado grave.

E tudo começou com um simples flagrante de posse de drogas…

terça-feira, 3 de julho de 2012

Manifesto do Conselho Federal de Serviço Social contra a Guerra às Drogas

“No Dia Internacional de Combate às Drogas, nós, assistentes sociais, temos que nos manifestar contra o discurso dominante e falacioso da “guerra às drogas”, pois temos autoridade, pelo conhecimento crítico da realidade social e institucional consolidada em nosso trabalho cotidiano, para afirmar que o aumento do consumo de drogas, e todas as formas de violência vinculadas à ilegalidade de algumas drogas, podem ser enfrentados de forma justa e democrática com a universalização do acesso e com a melhoria da qualidade das políticas sociais”

Com este trecho não fica difícil descobrir qual é a posição do Conselho Federal de Serviço Social sobre a política proibicionista de drogas. No manifesto de duas páginas o Conselho ainda critica o avanço modesto da lei 11.343/06 e a arbitrariedade das forças de seguranças nas cracolândias do Rio de Janeiro e São Paulo.

Vale destacar que o documento foi divulgado no dia 26 de junho, o Dia Mundial de Combate as Drogas. Clique aqui para ler!