Psicotropicus - Centro Brasileiro de Política de Drogas

sábado, 11 de maio de 2013

Frente Nacional denuncía: Gleisi Hoffmann é inimiga da Reforma Psiquiátrica

Em 8 de maio no site da Frente Nacional Drogas e Direitos Humanos

(...) Portanto, Gleisi Hoffmann é aliada política do Pastor Marcos Feliciano, da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, que se orgulha em afirmar a amizade entre ambos. A ministra é patrocinadora da perspectiva do "recolhimento social" dos miseráveis pela via das internações compulsórias. Gleisi Hoffmann é a madrinha do financiamento com dinheiro público das Comunidades Terapêuticas, em detrimento do SUS e do SUAS. Gleisi Hoffmann se posiciona como uma verdadeira inimiga da Reforma Psiquiátrica, do movimento antimanicomial e das suas conquistas!

Diante disso, entendemos que a Ministra Gleisi Hoffmann não reúne mais as condições políticas de se manter à frente da Casa Civil como uma ministra de todos os brasileiros, uma vez que suas convicções religiosas falam mais alto que as suas responsabilidades políticas de ministra de Estado. Então ela deve renunciar imediatamente!

Dia Nacional da Luta Antimanicomial–17 de maio

O Movimento da Luta Antimanicomial, no Estado do Rio de Janeiro, convida para o Ato Público em comemoração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial a ser realizado dia 17 de maio às 13h na Praça XV. Este ano apresentamos o seguinte tema: “Pelas ruas e becos da cidade: Liberdade! Não à privatização e ao encarceramento da vida.” O evento visa discutir a constante privatização dos espaços públicos, denunciar as práticas desumanizadoras de internação compulsória, combater o estigma e a exclusão social da loucura, defendendo uma política de afirmação da vida. O Ato contará com a apresentação de poetas, bandas, artistas e a realização de diversas oficinas.

Sociedade sem Manicômios

Pelas ruas e becos da cidade: Liberdade!

Não à privatização e encarceramento da vida

O Movimento de Luta Antimanicomial pede passagem para se

apresentar: somos usuários, familiares e trabalhadores

da saúde mental e pessoas que de alguma forma afirmam uma

Sociedade sem Manicômios.

Privatizando o sofrimento - JULITA LEMGRUBER

Rio, 8 de maio de 2013

Sob o título de "O novo filão eleitoral" O GLOBO publicou (29/4) reportagem denunciando que as chamadas comunidades terapêuticas, iniciativas da sociedade civil destinadas ao "tratamento" de dependentes de drogas, estão sendo utilizadas politicamente por parlamentares e, pior, estão em vias de receber polpudas verbas federais.

O robusto relatório do Conselho Federal de Psicologia, divulgado em 2011, que organizou inspeções em 68 desses locais, denuncia que a assistência aí ofertada, além de carecer de regulação governamental, "fundamenta-se em princípios que contrariam pressupostos que orientam as políticas públicas... e se inscrevem no campo de práticas sociais invisíveis ou subterrâneas" onde os mais fundamentais direitos são desrespeitados, onde os internos são constrangidos a participar de atividades religiosas e onde muito raramente são encontrados profissionais de saúde.

Não à privatização e encarceramento da vida

Cartaz Luta Antimanicomial versão2

Pelas ruas e becos da cidade: Liberdade!

Não à privatização e encarceramento da vida

O Movimento de Luta Antimanicomial pede passagem para se apresentar: somos usuários, familiares e trabalhadores da saúde mental e pessoas que de alguma forma afirmam uma Sociedade sem Manicômios.

Primeiros Sinais de Aviso do Fascismo

Laurence W. Britton

Baseado em pesquisa sobre sete regimes fascistas. Da época da administração do governo Bush. Trabalhe para deter o regime Bush/Cheney enquanto ainda é possível. Em formato de cartão postal.

- Nacionalismo poderoso e continuado

- Desdenho pelos direitos humanos

- Identificação de Inimigos como uma causa unificadora

- Supremacia militarista

- Media de massas sob controle

- Obsessão com Segurança Nacional

- Governo e religião entrelaçados