Psicotropicus - Centro Brasileiro de Política de Drogas

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Acabou o tráfico de drogas

Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2012
Fernando Rios, especial para o Psicoblog

 As drogas já não são mais arbitrariamente divididas em lícitas e ilícitas. O Ministério da Saúde, que regula as substâncias psicoativas de uso medicinal e recreativo, dita a política a ser usada no controle das drogas antes proibidas. Em caso de dependência, os psicólogos e médicos credenciados podem receitar qualquer substância de que o indivíduo necessita. As farmácias são rigorosamente fiscalizadas para cumprir as determinações do novo sistema de controle de drogas do país. O plantio de maconha está legalizado em todo território nacional. A cannabis que durante cem anos foi perseguida, vilipendiada e banida, volta agora ao convívio e à economia familiar e pode ser comprada até nas feiras.
 
Antiproibicionistas na Praia de Ipanema, agosto de 2010
A população compreendeu afinal que essa divisão entre drogas lícitas e ilícitas era um embuste jurídico e político. O regime que ruiu após décadas de fracasso favorecia interesses corporativos, em especial das agências de repressão ao tráfico, os produtores e vendedores de armamentos, os psiquiatras espertos e gananciosos e os políticos moralistas que esbanjavam hipocrisia em seus discursos antidrogas. E claro, favorecia os produtores e distribuidores das drogas proibidas, o chamado narcotráfico. Com o fim da proibição, acabou o tráfico.

Os adolescentes já não têm tanta curiosidade pelas drogas antes proibidas, que se encontram agora finalmente controladas. Os índices de consumo e abuso de drogas são cada vez menores, especialmente entre os mais jovens.

      Alguns países ainda resistem ao fim do regime, mas com a recente mudança da política de drogas estadunidense e regulamentação do seu mercado das drogas antes ilícitas, o movimento antiproibicionista acabará se impondo em todo o planeta.



sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Pesquisa aponta que poluição provoca mais problemas cardíacos que a cocaína

A conclusão deste estudo pode até chocar muitas pessoas. Mas ao contrário dos mitos que são disseminados sobre as drogas ilícitas, esta afirmação possui a fundamentação de uma pesquisa científica que seguiu critérios bem definidos.

Publicada nesta quinta-feira no periódico médico The Lancet, o estudo coordenado por Tim Nawrot, da Universidade de Hasselt, na Bélgica, concluiu que a poluição do ar pode provocar mais ataques cardíacos do que o uso de cocaína. Foram combinados dados de outras 36 pesquisas independentes para calcular os riscos a partir de fatores diversos.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Plantações de maconha em expansão na Floresta Amazônica

Com a proibição, qualquer mercado anteriormente legal passa funcionar na ilegalidade. Proibido, o negócio passa a se estruturar dentro de uma rede criminal que em muitos casos é mantida com corrupção e violência. O fechamento de uma rota geralmente marca o início da abertura de outra que busque garantir o pleno funcionamento das atividades. Não é novidade para ninguém que é desta forma que o mercado de drogas funciona.

Uma reportagem publicada pelo jornal O Globo nesta semana revela a expansão de cultivos de maconha dentro Floresta Amazônica. Relatos de funcionários do Ibama afirmam que as plantações estão sendo feitas na região da Reserva Biológica do Gurupi (MA), que já sofre com a extração ilegal de madeira.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A vida no cárcere para um usuário de drogas brasileiro

A história de Marcus Marcus Vinicius do Espirito Santo, de 23 anos, ilustra muito bem a fragilidade da atual Lei de Drogas. Detido com apenas 25 gramas de maconha para uso pessoal ele foi enquadrado e condenado por tráfico de drogas recebendo um pena de seis anos em regime fechado. Hoje, ele é mais um dentro das carceragens superlotadas onde o futuro não é nada promissor.

O testemunho da vida no cárcere de mais um condenado por crimes relacionado às drogas faz parte de um projeto do Transnational Institute (TNI) dentro de presídios da América Latina. Confira!

Drugs and Prisons in Brazil from WOLA on Vimeo.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

FHC acende a polêmica sobre a descriminalização das drogas dentro do PSDB

www.hempadao.com A política surpreende a cada dia com as mudanças de posicionamento de quem faz dessa atividade algo profissional. A era Lula mostrou com toda transparência que velhos inimigos podem se tornar bons aliados. Mas a grande polêmica do momento é o ativismo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em defesa da descriminalização das drogas, principalmente da maconha.

No último domingo FHC reforçou seu discurso apresentado em conferências e debates acadêmicos no programa "Esquenta!", comandado por Regina Casé, na Rede Globo. Depois de explicar sua tese de fracasso da guerra às drogas o ex-presidente conseguiu convencer grande parte da plateia de que a descriminalização é melhor do que a repressão. Veja no vídeo abaixo.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Policial e namorado são presos após abordagem irregular de jovens que portavam maconha

cariacica A paranoia repressiva criada da pela política de guerra às drogas segue provocando situações inusitadas. Em alguns casos, a "caça as drogas e aos drogados" é seguida de abusos de autoridade e violação dos direitos humanos. Mas desta vez foram os responsáveis pela repressão que acabaram sendo enquadrados com força punitiva da lei.

No caso que aconteceu esta semana em Cariacica (ES) uma investigadora da polícia civil e o namorado abordaram duas jovens que estavam em uma moto e teriam feito um gesto obsceno para o casal. Armado, o namorado da investigadora encontrou uma pequena com as duas meninas e chamou a polícia.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Luiz Paulo Guanabara tem registro musical no CD do I Festival Nacional da Cultura Canábica!

Amsterdam_5ago06 012 Poucos sabiam que além de diretor executivo da Psicotropicus e eventual flautista dos Seminários pelo Brasil e no mundo, Luiz Paulo Guanabara tem também uma obra como músico e compositor. O rap, com batida dance da época, foi feito para a novela Guerra sem Fim, exibida em 1993 pela extinta rede Mancehete.

Apesar dos quase 20 anos de sua criação, a música permanece atual o que evidencia a falha do estado no controle dessa verdadeira guerra sem fim contra as drogas. Dê play para ouvir a música Tiro na Tela e confira a letra e ficha técnica do som no final deste post:

No final do ano passado a música foi inscrita no I FENACUCA e se classificou entre as 10 melhores que foram registradas no CD do evento. Com parte da verba destinada a Marcha da Maconha, o I CD do Festival Nacional da Cultura Canábica conta com faixas exclusivas e pode ser comprado através da internet neste link!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O fracasso da Guerra às Drogas registrado nas páginas da imprensa

A insanidade da lei que criminaliza quem porta determinadas drogas ou cultiva uma planta é exposta diariamente em um incontável número de reportagens. Uma rápida pesquisa sobre o termo "drogas" em sites de busca revela uma exagerada quantidade de prisões e apreensões em todas as regiões do país. Algumas, de tão estapafúrdias, devem ser cuidadosamente preservadas para que futuras gerações não cometam o mesmo erro.

Nesta quarta-feira, o Diário de Santa Maria (RS) noticiou a detenção de um jovem de 23 anos que portava a impressionante quantidade de 4,7g de maconha. Ele foi levado para Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) e liberado em logo em seguida, provavelmente após assinar o Termo Circunstanciado.