Psicotropicus - Centro Brasileiro de Política de Drogas

sábado, 3 de fevereiro de 2018

PRIMEIRO FOLDER CRIADO E LANÇADO PELA PSICOTROPICUS 

por Luiz Paulo Guanabara

(LOGO)


Há cerca de 20 dias foi feita uma série de postagens no FB. Durante os anos de existência da ONG Psicotropicus fizemos muita coisa, nas áreas relacionadas à produção, venda e consumo de substâncias psicoativas ou psicotrópicas. Vamos mostrar esse material aqui no Blog também, enquanto o livro que conta a história do movimento antiproibicionista está sendo germinado. 

A Psicotropicus é agora um coletivo. Foi uma experiência e tanto os 17 anos de sua criação à sua transformação em coletivo, além dos anos anteriores à assembleia de fundação, em 25 de julho de 2003, nos quais a associação já existia virtualmente - e o nome já existia. Nessa época anterior à aprovação do estatuto, como representante da Psicotropicus fui porta voz da primeira marcha da maconha realizada no Brasil e lancei o 1o e o 2o folders, reproduzidos em fotocópia preto e branco. 

Eis aqui esses folders, parte integrante da etapa de inserir o Brasil no movimento internacional para a reforma da política de drogas, 'reform' em inglês, ou movimento antiproibicionista. A palavra "legalize" é mais encontrada no movimento canábico, liderado no mundo pela NORML, assim como a Drug Policy Alliance (DPA) lidera o movimento reform no mundo. 


PRIMEIRO FOLDER - FASE DE INSERÇÃO DO BRASIL NO MOVIMENTO INTERNACIONAL PELA LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS

1a. página

antiproibicionismo

n substantivo masculino
1     doutrina que advoga que não é papel do Estado vigiar o que as pessoas fazem ao próprio corpo, muito menos puni-las por isso
2     Rubrica: transtorno social.
       compreensão de que a intromissão do Estado em determinadas áreas da vida pessoal e econômica dos cidadãos é um desrespeito aos direitos humanos e ao direito civil
3     doutrina que advoga a descriminalização do uso de plantas e drogas tornadas proibidas e a sua legalização
4     Rubrica: política fracassada.
       compreensão de que a proibição de determinados produtos desejados pela população promove uma economia marginal que corrompe os mais diversos setores da sociedade, gera mais violência e aumenta a oferta e a demanda desses produtos


 2a. página


Alternativas ao Fracasso das Políticas de Drogas

O Estado exerce hoje o proibicionismo por meio de um suposto controle da produção, venda e consumo de determinadas plantas e substâncias psicotrópicas, chamadas genericamente de a droga: cannabis, cocaína, ópio, metanfetaminas, entre muitas outras. As bebidas alcoólicas também já foram alvo do proibicionismo nos Estados Unidos, durante os anos 20. E como ocorreu naquela década, também hoje o que ocorre é um total e vergonhoso des-controle, cujos problemas permeiam nosso cotidiano:

- violência, corrupção, lavagem de dinheiro
- exclusão, estigmatização, preconceito
- repressão, punições descabidas
- tratamento e educação de qualidade duvidosa
- impureza das substâncias proibidas
- desastrosa erradicação de plantios

O consumo de drogas em si mesmo não fere os direitos dos outros, e um Estado democrático, pluralista, não tem como justificar a proibição de drogas.


3a. página

                     UM TIRO NA TELA

                                          (Luiz Paulo Guanabara)


Emoção intensa ritmo acelerado                   Carros importados assassinos de aluguel
Na grande metrópole andando                       Inferno apocalipse um imenso fogaréu
             apressado                                           Comando Patrulha Comando Pirata
Guerra de gangues guerra civil                      Fuzis metralhadoras a ordem é matar!
X-9 sinistro sangue bom é Brasil                 
                         *                                                                      *
O povo aflito o menor abandonado               Família ameaçada a quadrilha no covil
O tráfico favela rola solto escancarado        Tramas que se cruzam e os
O pobre amedrontado o rico acuado                          bandidos da Civil
Chacina sem piedade, seqüestro                  O rico isolado já não sabe o que fazer
                  na maldade                                    O pobre apavorado já não tem o que comer
                                                                                        
                        *                                                                         *
Policiais bandidos traficantes regalias        Mendigos prostitutas travestis e vadiagem
A selvageria prossegue noite e dia              Bandidos Militar desovando malandragem
PMs receberam informação pelo rádio        A droga rola solta cocaína heroína
Intenso tiroteio salve-se quem puder           Lá vem a viatura o dinheiro vai comprar
                          *                                                                      *
Selvas de pedra barracos no morro             Nervos abalados estresse acentuado
O clima está tenso nas vielas e ruas           Tudo planejado no crime organizado
Borel Acari Vigário Geral                               Cores berrantes desse mundo errante
Sirene luz vermelha bandidos Federal         Um tiro na tela um furo na realidade

                              Um tiro na tela
               Um furo na realidade

OBS: essa poesia é parte da composição de um RAP que foi gravado no dia seguinte à sua criação, parte da trilha sonora da novela da extinta TV Manchete "Guerra sem Fim".


4a. página

O que é preciso fazer?


É preciso que as pessoas se conscientizem das conseqüências da proibição de drogas. Necessitamos de uma política de drogas independente dos Estados Unidos e de sua nefasta Guerra Contra as Drogas.

É preciso uma nova atitude frente às drogas e ter a coragem de experimentar novos caminhos. Chega de insistir numa política cujo custo-benefício é lastimável - como demonstram a intensificação do crime, da corrupção e da violência associados, e o aumento da oferta e da demanda de drogas. Temos de redirecionar os recursos utilizados para o des-controle das drogas da esfera militar e jurídico-policial para o campo da saúde e educação públicas.

Pedimos a imediata e total descriminalização do uso de drogas, a imediata e controlada legalização da cannabis. Pedimos também a progressiva e controlada legalização de todas as plantas e drogas atualmente proibidas.

Você é a favor da Proibição de Drogas? O tráfico é.

Junte-se à Psicotropicus

end: Rua General Justo 275/316-B
         20.021-130, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

tel: (55-21) 22404293
fax: (55-21) 22404377
email: tropicus@mtec.com.br

Nenhum comentário: